quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Futebol: “A rebeldia é que muda o mundo”



E aí boleiros!? Pra quem acha que Educação Física e Futebol é só jogar bola, vamos ler, pensar um pouco e conferir a Questão 118 do ENEM 2013.



"Conheça a história de Afonsinho, o primeiro jogador do futebol brasileiro a derrotar a cartolagem e a conquistar o Passe Livre, há exatos 40 anos.

Pelé estava se aposentando pra valer pela primeira vez, então com a camisa do Santos (porque depois voltaria a atuar pelo New York Cosmos, dos Estados Unidos), em 1972, quando foi questionado se, finalmente, sentia-se um homem livre. O Rei respondeu sem titubear:

— Homem livre no futebol só conheço um: o Afonsinho. Este sim pode dizer, usando as suas palavras,
que deu o grito de independência ou morte. Ninguém mais. O resto é conversa.

Apesar de suas declarações serem motivo de chacota por parte da mídia futebolística e até dos torcedores
brasileiros, o Atleta do Século acertou. E provavelmente acertaria novamente hoje.

Pela admiração por um de seus colegas de clube daquele ano. Pelo reconhecimento do caráter e personalidade de um dos jogadores mais contestadores do futebol nacional. E principalmente em razão da história de luta – e vitória – de Afonsinho sobre os cartolas"

ANDREUCCI, R. Disponível em: http://carosamigos.terra.com.br. Acesso em: 19 ago 2011.


O autor utiliza marcas linguísticas que dão ao texto um caráter informal. Uma dessas marcas é identificada em:

a) “[...] o Atleta do Século acertou.”
b) “O Rei respondeu sem titubear [...]”.
c) “E provavelmente acertaria novamente hoje.”
d) “Pelé estava se aposentando pra valer pela primeira vez [...]”.
e) “Pela admiração por um de seus colegas de clube daquele ano.”

 
http://www.mundovestibular.com.br/articles/16909/1/Futebol-cai-na-prova-/Paacutegina1.html
FOTO http://www.caixapretta.com.br/2010/10/70-anos-de-pele-70-fatos-sobre-ele/

Naming Rights


Qual é o seu nome? Ótimo! Mas e se por acaso alguém sempre chamasse você por outro nome você ficaria incomodado?

Pois é. Fazia tempo que eu queria publicar isto. 

Existe uma grande emissora de televisão que insiste em camuflar o nome das empresas em suas transmissões. Vamos focar a nossa revolta aqui na área esportiva, já que a TVG ("plim, plim") pratica este absurdo de troca de identidades em toda a sua grade de programação. 

Estamos falando dos Naming Rights: "é a prática da concessão de direitos de nome que empresas donas de algum estabelecimento de espetáculos culturais e/ou esportivos dá o nome para uma marca ou produto".

No último amistoso do Palmeiras, a TVG não só evitou usar o nome oficial da equipe do Red Bull Brasil, como modificou o distintivo da equipe e ainda rebatizou a nova Allianz Parque como Arena Palmeiras. Por favor!!!

Isso é uma prática comum do canal 5 (SP). Equipes de Vôlei e Futsal possuem empresas que apoiam o esporte enquanto a TVG insiste em usar o nome das cidades sede daquela agremiação como por exemplo o Rexona/Ades é chamado de Rio de Janeiro e o Brasil Kirin, time do astro Falcão tem sua marca escondida por trás da cidade de Sorocaba. Em Curitiba, o Atlético Paranaense jogava na Kyocera Arena. Na Bahia, o estádio que teve mais gols na Copa do Mundo FIFA no ano passado foi a Itaipava Arena Fonte Nova. E o que falar da belíssima Itaipava Arena Pernambuco? 

E o nome dos estádios no exterior que a Seleção Brasileira joga? O Gillette Stadium, sede do New England Patriots nos Estados Unidos e o Emirates Stadium, o moderno campo do Arsenal da Inglaterra tem seus nomes desprezados pela TVG. Não me lembro de ter ouvido o narrador chefe da emissora pronunciar o nome da Allinz Arena na Copa da Alemanha. 

O que eu não entendo é que algumas exceções acontecem na Fórmula 1 onde não existe tanta censura já que ouvimos os nomes da Ferrari, da Mercedes, da BMW, da Honda, da Renault e a pouco tempo da Red Bull entre outras marcas reconhecidas mundialmente.

Estes foram alguns exemplos, mas poderíamos dar centenas, talvez milhares de exemplos que a maior emissora do país faz contra o apoio de empresas e parceiros do esporte. 

Muito provavelmente este seja o problema do Corinthians ao negociar o Naming Rights de sua nova casa: A Arena Corinthians. Será que vai ser assim por muito tempo? 

Não sei qual o motivo desta aberração de evitar o real nome das equipes. Mas se fosse com a sua empresa? Após descarregar uma montanha de dinheiro para ter exposto sua marca na mídia, como você se sentiria ao assistir o jogo do seu parceiro comercial e durante a transmissão, o narrador não fala a sua marca?


Referências:
http://vitaminapublicitaria.com.br
https://twitter.com/GioMartineli
http://www.gopixpic.com/


domingo, 25 de janeiro de 2015

9x Corinthians na Copinha. Mas e depois?


Parabéns ao Sport Club Corinthians Paulista! Nona vez campeão da Copa São Paulo de Futebol Jr.

Agora vem a parte mais difícil para esta molecada: quem vai subir para o profissional? Algum deles terá espaço na equipe principal? E a turma dos outros times tem para onde ir? Os empresários vão renegociar seus atletas?

Nem todos vão "chegar". Por isso, a insubstituível importância da escola.

Foto: Marcos Ribolli

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Estaduais e Pré-temporada


Parece que o início de ano para os clubes brasileiros já é um pouco melhor quando falamos de preparação para 2015.

Com mais tempo de férias, equipes da elite nacional fizeram viagens para o exterior, outras jogaram amistosos internacionais aqui mesmo no Brasil, algumas reforçaram a preparação física aguentar a maratona de partidas que vão enfrentar neste ano. Na minha opinião, melhor que muitos jogos dos campeonatos estaduais.

Esta era uma revindicação antiga de clubes e jogadores. Agora falta diminuir as datas dos torneios estaduais para que estes façam parte de uma preparação para o Campeonato Brasileiro. Minha sugestão: 32 equipes divididas em 8 grupos no mesmo formato da Copa do Mundo. Então teríamos 7 jogos para cada equipe que chegar ao jogo decisivo. Muito mais emocionante e sem enrolação.

AP Photo/Rick Wilson